sexta-feira, 20 de abril de 2018

PRESENÇA DE DEUS



"O Senhor apareceu-lhe (a Abraão), e disse-lhe: Eu sou o Deus Onipotente; anda em minha presença, e sê perfeito"  (Gênesis XVII, 1).

Logo ao se abrirem os olhos na paz da aurora se há de saudar a Deus Onipotente e Pai. Dizia o célebre Contardo Ferrini: "Não posso conceber uma vida sem oração, um despertar da manhã sem encontrar o sorriso de Deus e um noturno reclinar da cabeça sem recliná-la antes sobre o peito de Cristo". Viver na presença de Deus e viver com a alma sempre elevada para Deus, tudo isto nada mais é que viver de oração.  Não vemos a Deus mas estamos em Sua presença, conversamos com o nosso Pai do Céu, oferecemos a Ele tudo o que fazemos e tudo o que nos acontece. É um santo método aquele do Manual do Apostolado da Oração: O Oferecimento Cotidiano! S. João Crisóstomo fazia a comparação entre uma carta e as nossas ações: "Se escreveis uma carta sem pôr o endereço é impossível que chegue ao destino. Cada um dos atos que praticamos durante o dia, é semelhante à uma carta; ponhamos-lhe também previamente o endereço".

Ouçamos Santa Teresa d'Ávila: "No meio das ocupações devemos retirar-nos em nós mesmos. Ainda que seja por um só momento, o recordar que temos companhia dentro de nós, é de grande proveito" (Caminho, 29, 5). Isto vale não só para as religiosas, mas também para aqueles que vivem em constante contado com os outros. A santa Reformadora do Carmelo continua: "Se falar, procure lembrar-se que tem dentro de si mesmo com quem falar [ou seja, com Deus]. Se ouvir, lembre-se que deve ouvir a quem de mais perto lhe fala. Enfim, tenha em conta que pode, se quiser, não se apartar nunca de tão boa companhia... Se puder [recorde-o] muitas vezes ao dia, se não puder, sejam poucas" (ib. 7).

Caríssimos, nada impede que apliquemos este método à presença de Deus na alma dos outros. Infelizmente é verdade que nem em todos os homens Deus está presente pela graça, mas está ao menos presente como Criador e Conservador de seu ser. Infelizmente, nem todos são filhos de Deus, ou porque não foram batizados ou porque estão em estado de pecado mortal, mas todos são criaturas de Deus. E além do mais, podem e devem (e devemos concorrer para isto) se tornar ou, então voltar a ser filhos de Deus. Ver Deus assim presente em todos inspira-nos sentimentos de benevolência, de caridade, de respeito para com todas as pessoas com que tratamos e pode levar-nos a servi-las em homenagem e em relação a Deus, que nós reconhecemos presente nelas. Assim, procuramos servir e amar a Deus presente nos nossos irmãos. E isto ajuda-nos a estarmos sempre na presença de Deus.

Devemos tomar todo cuidado para agirmos sempre com espírito de fé, evitando todo olhar puramente humano que nos faria considerar as pessoas e os acontecimentos quase só sob o ponto de vista terreno e material. É claro que, enquanto estamos aos pés do Senhor em oração, é-nos fácil pensar que O podemos descobrir em todas as criaturas e em todos acontecimentos; mas no meio de algumas pessoas e dificuldades, há o perigo de sumir o pensamente de fé, e passarmos a pensar de maneira puramente humana. E, aí, perdemos a presença de Deus. Portanto, o grande remédio para este perigo é cultivar um profundo espírito de fé.

Na verdade, a fé é que nos faz ver Deus em todas as criaturas e em todas as conjunturas da vida. A fé nos ensina que Deus está presente em toda a parte com a Sua ação providencial. A fé nos ensina que nada acontece no mundo que não esteja submetido ao governo divino. Para deixar livres suas criaturas Deus permite o mal e o pecado, mas, no Seu plano divino, de todo mal Ele tira um bem; tudo é ordenado para a Sua glória, para a salvação e santificação das almas. São Paulo diz: "Para aqueles que amam a Deus, tudo coopera para o bem" e Santo Agostinho acrescenta: até mesmo os pecados, "etiam peccata". Portanto, nada posso ver separado de Deus, em qualquer pessoa, ou em qualquer circunstância posso encontrar Deus. E a alma de fé não se encontra com Deus apenas na oração, mas, vendo-O em todas as coisas , em todas O encontra e pode manter-se em contato com Ele, mesmo no meio dos afazeres. Daí, saber reconhecer e encontrar a Deus em cada criatura, é um dos grandes segredos da vida interior. No entanto, este espírito de fé assim profundo exige da nossa parte um exercício assíduo.

As horas de oração devem servir-me para ver, a esta luz sobrenatural, todos os pormenores da minha vida, para que, através deles, eu possa encontrar sempre o Senhor. A presença de Deus está em toda parte, contém tudo, supera tudo, conduz tudo, penetra tudo, basta a tudo e dispõe tudo para tudo governar com amor e onipotência infinita. Diante da presença de Deus tudo o resto é nada; ela é tão poderosa que, absorve e faz desaparecer tudo o mais.

No próximo artigo, se Deus quiser, falarei sobre as Orações Jaculatórias.
Dai-me, Senhor, um olhar de fé tão grande e penetrante que, para além das criaturas e das vicissitudes humanas, eu veja sempre a Vossa mão que tudo guia. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário