domingo, 19 de março de 2017

MAIS EXPLICAÇÕES SOBRE A CONTRIÇÃO

LEITURA ESPIRITUAL MEDITADA

A dor perfeita ou contrição é, na verdade, um tesouro inestimável, a tal ponto que a ela podemos aplicar as palavras da Escritura Sagrada: "Todos os bens me vieram com ela" (Sabedoria, VII, 11). Daí dizer S. Leonardo de Porto Maurício: "Quem poderia jamais exprimir as riquezas imensas que a dor derrama no coração, principalmente a dor perfeita ou a contrição! Ah! meus bem amados, desta pérola preciosa, eu queria ver-vos de posse dela mesmo que fosse pelo preço do vosso sangue, pois com ela possuís todos os bens".

Caríssimos, e ainda que sejais livres de vos contentardes com a atrição, é bom, entretanto, excitar sempre em vós a contrição, porque esta faz logo a alma amiga de Deus, reveste-a com a veste nupcial da graça, e apaga todos os pecados, mesmo antes da absolvição, o que não pode fazer a atrição, que, sem a intervenção da absolvição dada pelo sacerdote, fica estéril e não produz efeito algum. A dor perfeita, pela qual detestamos os nossos pecados pelo amor de Deus amado sobre todas as coisas, é como um segundo batismo, que imediatamente purifica a alma de todas as suas iniquidades.

Façamos algumas comparações para que possam, caríssimos, ver como um ato de contrição é tão precioso! Tomai na mão uma balança, colocai de um lado um ato de contrição, e do outro todos os bens do paraíso; comparai: um ato de contrição pesa tanto quanto todos estes bens, pois que só por esse ato fazeis jus a todos estes bens. Vede, por outro lado, os suplícios eternos do inferno: uma só lágrima, um só suspiro de um coração contrito basta para os suprimir totalmente. Dai-me, outrossim, um homem carregado de todos os pecados; se excita em sua alma um ato de verdadeira contrição, todos esses pecados se dissipam logo, como a neve diante do fogo. Como a contrição perfeita é abençoada!!!... Ademais, ajuntai a isto que a contrição espalha nos corações o mais rico tesouro que podemos possuir sobre a terra, quer dizer: a paz interior e a tranquilidade da alma.

Caríssimos, pode acontecer que o demônio coloque em vossas cabeças e nos vossos corações, escrúpulos. Mais ou menos assim: dissestes todos os pecados? Destes, de fato, todas as explicações? Será que o confessor compreendeu-vos bem? Pois bem! se apesar de todos estes pensamentos extravagantes, quereis viver tranquilos e trazer vosso coração em paz, fazei o possível para ter uma contrição verdadeira, detestando o pecado pelo amor de Deus, soberano bem; esta dor perfeita curará por si só todas as vossas feridas e suprimirá todos os defeitos que teriam podido resvalar, contra vossa vontade, nas confissões passadas. Ó amável contrição, que nos faz gozar um paraíso antecipado!... Por isso, o melhor conselho que um sacerdote possa dar a alguém, máxime, aos escrupulosos é esse: "caríssimos, em lugar de ficar atormentando vossas cabeças com exames de consciência demasiadamente demorados, meditai na Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. O Pai nos amou de tal modo que nos enviou do céu seu próprio Filho, e Jesus Cristo, Deus e Homem verdadeiro, amou-me de tal modo, que não podia fazer mais do que fez para que eu com um único ato de amor a Ele, recebesse pelo seu Sangue derramado na Cruz, o perdão de todos os meus pecados, bastando ter, mesmo só implícito, o desejo de receber o sacramento da Penitência.


Suponhamos que vos achais em estado de pecado mortal. Que seria de vós se não tivésseis tempo de vos confessar? Que seria se morrêsseis no meio dos campos, se fôsseis surpreendido por um acidente imprevisto, e que não tivésseis um confessor ao vosso alcance? Eis aqui um grande motivo de consolação: fazendo um ato de contrição, sereis justificados tão bem como se estivésseis confessado, ainda que fique sempre a obrigação de confessar os pecados dos quais se tem arrependimento, e se não deva diferir por muito tempo a confissão. Ó amável contrição, que nos abre as portas do céu, nos fecha as do abismo, põe em fuga os demônios, nos dá o glorioso caráter de filhos e amigos de Deus, e nos faz gozar desde este mundo as delícias do céu! Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário