terça-feira, 2 de maio de 2017

SANTO ATANÁSIO

   Homem providencial, que Deus deu à sua Igreja, para defender a divindade do Seu Verbo. Nasceu no Egito pelo ano de 295. Pelos 25 anos da sua idade, era diácono da igreja de Alexandria e muito dedicado ao seu bispo Alexandre, a quem auxiliou, desde o começo na campanha contra o arianismo, acompanhando-o a Nicéia e tomando parte muito ativa no Concílio.
   Tendo falecido Alexandre, foi elevado à categoria de bispo Patriarca de Alexandria, tendo apenas 33 anos.
   Atanásio, diz Mourret, era de pequena estatura, franzino, mas de porte firme e rosto nobre.
   Desde a sua elevação ao episcopado, diz Tixeront, a sua história confunde-se com a da ortodoxia nicena, Ninguém esteve mais vigilante e ninguém defendeu mais corajosamente a divindade do Verbo do que ele. Foi o maior dos inimigos dos arianos. Não houve violência que o atemorizasse, nem prepotência que o fizesse transigir. Como bispo de Alexandria, durante 45 anos combateu arduamente o erro, pela pregação e por meio de escritos, e sofreu por isso cruéis peseguições e calúnias, sendo cinco vezes exilado.
   Santo Atanásio brilha na história pela valentia do seu ânimo e pela firmeza do seu caráter, que nunca quebrou, nem torceu, no meio das mais violentas tempestades. Parecia que todos os poderes do mundo se tinham conjurado contra ele; o ímpério e os seus agentes, os sábios, os filósofos e, ao menos em grande parte, o próprio episcopado. E, segundo alguns historiadores, até o papa Libério o teria abandonado. Mas não vacilou um momento, porque tinha a mais profunda convicção de que defendia a verdade e a confiança mais absoluta de que Deus lhe concederia a vitória. Todavia, tão forte como prudente, nunca desprezou os meios humanos, que Deus colocara ao seu alcance, defendendo-se qual outro São Paulo, protestando, fugindo, escondendo-se (certa vez ficou vários meses escondido no túmulo de seu pai), trabalhando.
   Aplicou-se diligentemente, a defender a consubstancialidade do Verbo, evitando, propositadamente, quaisquer especulações, ou teorias, que pudessem comprometer a exposição ou a defesa desta verdade. Ninguém como ele, sabia descobrir o ponto fraco de uma questão, a falta de lógica de um argumento, ou encontrar a distinção precisa para tirar à heresia toda a possibilidade de defesa. Daí a sua grande influência nos concílios e o conseqüente ódio dos arianos contra ele.
   Como literato Santo Atanásio não procurou a elegância do estilo. O seu espírito, claro e preciso, sabia muito bem o que queria dizer e di-lo numa linguagem firme, apropriada, sem ornatos escusados, sem arrebiques de retórica e sem a mínima ambiquidade que pudesse ser explorada pelos espertos arianos. Pôs nos seus escritos, isto sim! toda a sua alma.
   Como exemplo do que acabamos de expor, eis apenas um pequeno trecho de uma carta circular que ele escreveu a todos os bispos no ano de 340: "... Com efeito,  não é de agora que a Igreja recebeu ordem e constituição definida. Ela vos foi transmitida pelos pais como algo bom e seguro. Também não é de agora o início da fé. Ela veio a nós do próprio Senhor através dos Apóstolos. Queira Deus que não se renuncie hoje àquilo que foi conservado na Igreja desde o início até ao nosso tempo; queira Deus que não sejamos nós a defraudar o que nos foi confiado. Irmãos, como administradores dos mistérios de Deus, deixai-vos comover, uma vez que vedes como tudo isso é roubado pelos outros. Ouvireis mais da boca dos portadores desta carta; a mim impõe-se-me apresentar isto de forma resumida, para que realmente reconheçais que tal coisa jamais aconteceu contra a Igreja desde o dia em que o Senhor, subindo ao céu, confiou sua missão aos Apóstolos com as palavras: "Ide pelo mundo; ensinai a todos os povos e batizai-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo"...

   "...Mas por isso não deveis  temer a malvadez dos adversários; deveis, isso sim,... indignar-vos contra as novas manobras de que somos vítimas. Pois, se um membro sofre, todos sofrem junto e, segundo a palavra do Apóstolo, devemos chorar com os que choram. Uma vez que é a grande Igreja que sofre, cada um deve providenciar pacientemente para que o crime receba o castigo. Por todos eles, é o Salvador que é injuriado. São as leis de todos que são dissolvidas por eles. Por todos estes motivos peço-lhes... que condenem os ateus, para que agora os sacerdotes daqui e o povo vejam a vossa verdadeira fé unânime em Cristo, e para que aqueles que  erraram tanto na Igreja se sintam atraídos para voltarem a ela e cheguem a uma mudança de orientação. Saúdo a comunidade dos irmãos que estão junto a vocês! Todos os irmãos reunidos comigo os saúdam. Que o Senhor os guarde incólumes e em fiel comunhão de pensamento conosco..."
   SANTO ATANÁSIO!  ROGAI POR NÓS!
   N.B.: Sua festa é celebrada no dia 2 de maio.

  O que certamente se gostaria de saber ainda sobre Santo Atanásio é o que ele mesmo teria dito do Papa Libério. Santa Atanásio escreveu inúmeras obras. Os vários anos que ficou no exílio ou escondido dos arianos, aproveitou-os também para desenvolver o seu zelo, sobretudo, escrevendo. Além de ter escrito a vida de Santo Antão que exerceu admirável influência nas vocações monásticas, escreveu ainda as seguintes obras: 1-Exegese: Comentários sobre o Eclesiastes e outro Sobre o Cântico dos Cânticos, As Cadeias (Catenae) sobre o Livro de Jó; Exposição sobre os Salmos. 2- Obras de Apologia: Discurso sobre os gregos e sobre a Encarnação do Verbo;  3- Obras Dogmáticas: Discursos contra os arianos; Um tratado da Encarnação contra os Arianos; Uma exposição da Fé; há várias outras obras, mas apócrifas. Por isso mesmo não as citarei a não ser a mais afamada: O Símbolo "Quicumque". 4. - Obras histórico-apologética: A Apologia contra os arianos, Um escrito contra Valente e Ursácio, Apologia ao Imperador Constâncio, Apologia de sua fuga (era acusado por ter fugido: É certo que se ocultou, no uso de um legítimo direito, não para obedecer ao medo, mas para poupar a vida e poder continuar a fazer ouvir bem alto a voz da verdade.); Carta do doutrina de Diniz; Decretos do Concílio de Niceia; O Tratado dos Símbolos de Rímini na Itália e de Selêucia na Isaura; A História dos Arianos aos Monges. 5 - Obras de Moral e Disciplina: Vida de Santo Antão; Tratado sobre a Virgindade; Uma doutrina ad Antiochum; Uns Cânones Eclesiásticos; Uma série de Homilias; 6 - As Cartas: são muito valiosas e cheias de interesse, tanto para a História como para a Doutrina. E algumas delas podemos considerá-las verdadeiros Tratados.
  Santo Atanásio tem uma frase contra o Papa Libério: "Historia Arianorum ad Monachos", c. 41: "Liberius, extorris factus, post biennium denique fractus est, minisque mortis perterritus subscripsit". Em Português: "Libério tendo sido desterrado, depois de dois anos finalmente abateu-se, e aterrorizado pelas ameaças de morte, subscreveu".

                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário