segunda-feira, 31 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  31 de agosto

   Se não comungardes sacramentalmente, na santa Missa, recebei em espírito Jesus Cristo no íntimo de vossa alma, pedindo-Lhe que vos conceda a graça de viver unicamente para Ele, já que somente por Ele podeis viver. 

   Imitai Zaqueu em seus bons propósitos e agradecei a Nosso Senhor terdes podido assistir a santa Missa e fazer a comunhão espiritual. Oferecei, em ação de graças, uma homenagem particular, um sacrifício, um ato de virtude, e pedi a Jesus Cristo que vos conceda sua bênção e a todos os vossos parentes e amigos.

   À leitura do Evangelho  - geralmente o de São João, em que se descreve a geração eterna, a temporal e a espiritual do Verbo Encarnado, adorai Jesus que subiu ao céu para vos preparar um lugar. Contemplai-O reinando em seu trono de glória e enviando aos Apóstolos seu Espírito de verdade e de amor. Pedi que este Espírito Divino habite em vós, que vos dirija em tudo o que tiverdes a fazer durante o dia, que a graça do Santo Sacrifício santifique o vosso dia todo e o torne fecundo em obras de mérito e salvação. 

domingo, 30 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  30 de agosto

   Quando tiverdes Jesus em vosso peito, no trono de vosso coração, ficai um momento tranquilo sem orações vocais; adorai no silêncio, prostrai-vos em espírito aos pés de Jesus como Zaqueu ou Madalena, e em companhia da Santíssima Virgem.

   Enquanto sentirdes a vossa alma recolhida, contemplai-O, proclamai-O rei de vosso coração, esposo de vossa alma e procurai ouvi-Lo... Dizei-Lhe: "Falai, Senhor, pois vosso servo escuta..."

   Colocai o vosso coração aos pés do divino Rei, oferecei-Lhe vossa vontade para executar suas ordens, consagrai todos os vossos sentidos ao seu divino serviço, prendei ao seu trono o vosso espírito para que daí não se afaste mais, ou melhor, lançai-o sob os seus divinos pés, a fim de que Jesus lhe possa extrair o orgulho e a leviandade.

   Enquanto sentirdes a vossa alma recolhida, gozando a calma da presença de Nosso Senhor, não a perturbeis. Deixai-a nesse doce sono sobre o peito de Jesus, pois esta graça, alimentando-a e unindo-a suavemente ao seu Bem Amado, lhe é mais proveitosa que outro qualquer exercício. 

sábado, 29 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  29 de agosto

   "Tenho sede!"  -  Adorai, na santa Missa, Jesus novamente crucificado sobre o altar, pedindo a seu Pai para sofrer ainda por amor dos homens e exclamando: "Tenho sede!" sede dos corações, sede de vossa glória!"

   Saciai esta sede ardente de Jesus, sede do sofrimento, da salvação do mundo e da reparação à Majestade de Deus ultrajada, sofrendo e reparando com Ele!

   Escutai as palavras de Jesus agonizante e adorai-O entregando-se totalmente  -  o Corpo, o Sangue, a Alma e a Divindade  -  no momento da Comunhão, nas mãos de todos os homens. Uni-vos ao sacerdote e adorai Jesus descido da cruz e entregue aos braços de sua Mãe Santíssima.

   Recebei-O também, estreitai-O no vosso coração, onde O conservareis para sempre.

   É este o momento em que nos cabe oferecer Jesus, vítima no altar e em nossos corações, tanto por nós mesmos como por aqueles que nos são caros. Jesus nos pertence então, é nosso. Deus Pai no-lo dá e Ele mesmo se dá a nós para que O façamos valer. Ofereçamo-Lo portanto em união com Maria, e peçamos a esta boa Mãe que O ofereça conosco. 

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  28 de agosto

   Perdoai-nos as nossas dívidas  -  Perdoai, ó meu Jesus, os pecados de minha vida para que, com um coração puro e consciência tranquila, ouse aproximar-me menos indignamente de vosso santo altar, e mereça vos servir santamente, bem como vos louvar com os Anjos e Santos. Esquecei, Senhor, o mal que nos fizeram e não vos vingueis daqueles que nos contradizem, caluniam e perseguem. Pagai-lhes o mal com o bem, o crime com a graça, o ódio com o amor.

   Como nós perdoamos aos nossos devedores - Sim, de todo coração, com verdadeira caridade, de toda a nossa alma e com simplicidade infantil, desejamos sinceramente que lhes sejam concedidos, como a nós, os dons do vosso amor.

   E não nos deixeis cair em tentação  -  Não entregueis aqueles que vos confessam e em vós esperam à fúria de animais ferozes.

   Mas livrai-nos do mal   -  Livrai-nos do demônio impuro, orgulhoso e semeador de discórdias. Livrai-no dos sábios do século para que não corrompam em nós a simplicidade de vosso espírito; dos sábios orgulhosos para que não excitem a vossa ira; dos homens inconstantes e hipócritas para que não iludam nossa simplicidade. 

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  27 de agosto


   Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu - fazei que não tenhamos outro prazer que o de pensar em Vós, desejar-Vos e querer-Vos; que sempre e em tudo, renunciando a nós mesmos, só tenhamos luz e vida na obediência à vossa vontade, sempre boa, agradável e perfeita. Pereçam todos os nossos pensamentos e desejos se de Vós não procederem, para Vós se dirigirem e em Vós não permanecerem.

   O pão nosso de cada dia nos dai hoje - Senhor Jesus, que fizestes chover diariamente o maná do deserto para as necessidades do vosso povo; que quisestes ser a partilha e herança única e total dos levitas; que legastes aos Apóstolos vossa divina pobreza, queremos que somente Vós sejais nosso Procurador e Mordomo, e como tal Vos elegemos.

   Sede Vós, e unicamente Vós, o nosso alimento e vestuário, nosso tesouro e nossa glória, nosso remédio nas enfermidades e nossa proteção contra os inimigos. 



quarta-feira, 26 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  26 de agosto

   No "Pater", adorai os santos e inefáveis abandonos que o Salvador sofreu na cruz para expiar os vossos culpáveis desprezos para com Deus e sua divina Lei. Prometei-Lhe jamais abandoná-Lo, e pedi a graça da perseverança final.

   Dizei o "Pater" com Jesus Cristo na cruz, perdoando aos seus inimigos; perdoai também aos que vos ofenderam, perdoai do íntimo do coração e sinceramente.

   Pai nosso que estais no céu - nos céus da Eucaristia, a Vós que estais sentado nesse trono de graça e de amor, bênção, honra, glória e poder pelos séculos dos séculos.

   Santificado seja o vosso nome - em nós, em primeiro lugar, por vosso espírito de humildade, obediência e caridade. Oxalá pudéssemos, cheios de humildade e abnegação, trabalhar para que fôsseis conhecido, adorado e amado em vossa Eucaristia.

   Venha a nós o vosso reino - vosso reino eucarístico. Reinai vós unicamente sobre nós, pelo império do vosso amor, pela vitória da vossas virtudes sobre nossos defeitos e pela efusão da graça e da vocação eucarística. 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  25 de agosto

   Após a elevação, considerai Jesus sobre o altar, como outrora na cruz, adorando seu Pai no profundo aniquilamento da própria glória, rendendo-Lhe graças por todos os bens que Ele concede aos homens, seus irmãos, e irmãos redimidos, apresentando-Lhe as chagas ainda abertas a clamarem graça e misericórdia para os pecadores, e intercedendo por nós com uma oração que o Pai não pode deixar de atender porque é a oração de seu filho, de seu Filho imolado por amor para glorificá-Lo!

   Tributai ao próprio Jesus as adorações que Ele oferece ao Pai.

  Adoro-vos, ó meu Salvador, realmente presente sobre o altar para renovar em meu favor o sacrifício do Calvário.

   Bênção, glória e poder vos sejam dadas nos séculos dos séculos, ó Cordeiro que ainda se imola, e todos os dias!

   Dou-vos graças e não cessarei de rendê-las eternamente por me haverdes amado tanto!

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  24 de agosto

      
   Representai aos vossos olhos, na elevação, Jesu pendente da Cruz entre o céu e a terra como Vítima e Medianeiro entre Deus ofendido e os pobres pecadores. Adorai e oferecei esta divina Vítima em expiação de vossos pecados e dos pecados de vossos parentes, amigos e todos os homens.

   Jesus morreu para nos resgatar; sua última graça foi o perdão concedido aos algozes; o último dom de seu amor, sua divina Mãe; seu último desejo, a sede de sofrer; seu último ato, o abandono de sua vida entre as mãos de seu Pai.

   Na Divina Eucaristia Jesus perpetua o amor que me testemunhou em sua morte; imola-se todas as manhãs no Santo Sacrifício e vem perder, nos que comungam, sua existência sacramental. Oferece-me, de sua Hóstia, as graças de minha redenção, o preço de minha salvação. Mas, para que eu possa me aproveitar disto, Jesus pede que eu morra com Ele e por Ele. 

   Ó meu Deus, concedei-me a graça de morrer ao pecado e a mim mesmo, e de viver unicamente para vos amar em vossa Eucaristia. 

domingo, 23 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  23 de agosto




   No momento em que o sacerdote, cercado de legiões de anjos, se inclina profundamente em sinal de respeito para com a ação divina que vai realizar, e em que, falando e operando divinamente em lugar da pessoa de Jesus Cristo, consagra o pão e o vinho no Corpo, Sangue, Alma e Divindade do Homem Deus, e reproduz o mistério da ceia, adorai esse poder inaudito concedido aos sacerdotes em vosso favor. 

   Em seguida, ao descer Jesus sobre o altar, à palavra de seu ministro, adorai a Hóstia Santa e o Sangue de Jesus Cristo clamando misericórdia por vós. Recebei, como outrora Madalena ao pé da cruz, o sangue que jorra das chagas de Nosso Senhor.

   Oferecei a Divina Vítima à justiça de Deus, por vós e pelo mundo inteiro; oferecei-A também à sua misericórdia divina e infinita, a fim de atrair a comiseração de Deus sobre vossas próprias misérias e fazer jorrar sobre vós a fonte de sua inesgotável bondade.

   Oferecei ainda a Vítima Divina a esta mesma bondade de Deus, para que ela se digne de aplicar os seus frutos de luz e de paz às almas sofredoras do purgatório, e para que este sangue, substituindo as chamas, acabe de purificá-las tornando-as dignas do paraíso. 

sábado, 22 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  22 de agosto

   No ofertório, o sacerdote oferece a Deus Pai o pão e o vinho do sacrifício.

  Pilatos apresentou Jesus ao povo exclamando: Ecce homo, eis o homem! Seu estado excitava compaixão. Acabara de ser flagelado, uma coroa de espinhos cobria de sangue o seu divino rosto; um velho manto de púrpura, uma cana que Lhe puseram na mão O transformaram num rei de comédia. Pilatos propôs ao povo que se compadeça d'Ele, e o povo, recusando-se, responde: Que Ele seja crucificado! Crucifigatur!

   Nesse momento, Jesus se oferecia ao Pai pela salvação do mundo e de seu povo em particular, e o Pai aceitava a sua oferenda.

   Ofereço-vos com o sacerdote, ó Pai Santo, a hóstia pura e imaculada de minha salvação e da salvação de todos os homens; apresento-vos, em união com esta oblação divina, a minha alma, o meu corpo, a minha vida. Quero continuar a fazer reviver em mim a santidade, as virtudes e a penitência de vosso divino Filho. O Domine, regna super nos. Reinai sobre nós, ó Senhor!


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  21 de agosto




 Vimos que o Sacerdote paramentado para a santa Missa representa Jesus Cristo caminhando para o suplício do Calvário.

   As vestes sacerdotais nos ensinam ainda com que disposições nos devemos apresentar ao Santo Sacrifício. A modéstia e o recolhimento estão simbolizados no amito, que o Ministro do altar coloca primeiramente sobre a cabeça e depois sobre os ombros; a pureza pela alva e o cordão brancos; a contrição, pelo manípulo; a veste da inocência, pela estola; o amor da cruz e do jugo do Senhor, pela casula.

   Jesus disse que seu jugo é suave e o seu fardo leve; mas isto somente para quem vive de oração e de vida interior; do contrário, tornar-se-á pesado e enfadonho. Quando não somos interiores, tudo se ressente em nossa vida.

   Oh! como eu desejaria que se cumprisse em vós esta sentença tão perfeitamente realizada na Santíssima Virgem: "O reino de Deus está dentro de vós", reino de virtudes, de amor e de graças interiores, pelo qual começareis a ser adoradores e santos!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  20 de agosto

   Para assistirdes piedosamente o Santo Sacrifício, meditai nas circunstâncias da Paixão do Salvador, que tão admiravelmente nele se renova.

   Considerai a Igreja como o lugar mais santo e respeitável do mundo, como um novo Calvário. O altar, de pedra, contém ossos de mártires, e os círios que ardem e se consomem são o símbolo da fé, da esperança e da caridade. As toalhas brancas que cobrem o altar representam os lençóis com que foi envolvido o Corpo de Jesus Cristo; o crucifixo no-Lo representa morrendo por nós.

   Vede no sacerdote paramentado o próprio Jesus Cristo com as vestes da Paixão. O amito representa o véu com que os carrascos velaram a face do Salvador; a alva, a túnica branca de irrisão com que O revestiu o impudico Herodes; o cordão, os laços com que os judeus O prederam no Jardim das Oliveiras para conduzi-Lo  aos tribunais; o manípulo, as cadeias com que foi amarrado à coluna da flagelação; a estola, as cordas que O arrastaram com a cruz às costas pelas ruas de Jerusalém; a casula, o manto de púrpura que Lhe lançaram nos ombros, no pretório, ou ainda a própria cruz que Lhe impuseram. 

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  19 de agosto

   Oferecei a Santa Missa segundo estes quatro fins:

   1º - Homenagem de adoração suprema, apresentando ao Pai Eterno as adorações de seu Filho Encarnado, e unindo as vossas às d'Ele e às de toda a Igreja. Oferecei-vos, com Jesus Cristo, para amá-Lo e servi-Lo.

   2º - Preito de ação de graças ao Pai Celeste, a fim de agradecer-Lhe os méritos e a glória da Santíssima Virgem e de todos os Santos, como também os benefícios que tendes recebido e ainda recebereis pelos merecimentos de seu Filho.

   3º - Como hóstia satisfatória, por todos os vossos pecados e expiação de tantos crimes que se cometem no mundo; lembrai ao Pai Eterno que Ele nada nos pode recusar visto que nos deu seu Filho, que se mantém na sua presença nesse estado de sacrifício e de vítima pelos nossos pecados e os de todos os homens.

   4º  -  Como sacrifício impetratório ou hóstia de oração, oferecendo-o ao Pai como o penhor que Ele nos deu de seu amor a fim de que pudéssemos esperar confiantes todos os bens espirituais e temporais. Apresentai-Lhe vossas necessidades pessoais e pedi-Lhe em particular a graça de corrigirdes o vosso defeito dominante. 

terça-feira, 18 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  18 de agosto

   Jesus Cristo, na Santa Missa, adora seu Eterno Pai em nome de todos os homens, na qualidade de Primogênito. Proclama que a vida e todo bem emanam de Deus, único ser, no qual tudo existe, e Lhe oferece a própria vida para testemunhar que, procedendo de Deus, tem ele absoluto e total direito sobre ela.

   Como hóstia de louvor, agradece ao Pai todas as graças que Lhe concedeu e as que concede aos homens por seu intermédio. Jesus se torna, assim, nossa perpétua ação de graças.

   É ainda a vítima de propiciação, pedindo incessantemente perdão pelos pecados que a todo momento se renovam, e procurando associar o homem à sua reparação, unido-o à sua oferenda.

   É finalmente o nosso Advogado, que intercede com lágrimas e profundos gemidos, e cujo sangue clama sem cessar pela misericórdia divina em nosso favor. Jesus pede também a seu Pai que abençoe, defenda e exalte a sua Igreja, a fim de que ela O torne mais conhecido, amado e servido por todos os homens. 

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  17 de agosto

   Admirai as invenções do amor de Jesus!

   Semelhante ao pai de família que trabalha a vida inteira com um fim único: deixar aos filhos, ao morrer, o necessário sustento, Jesus morreu plenamente satisfeito por nos deixar um pão, e que pão!

   Que mais nos poderia dar? Nesse testamento de amor encerrou tudo, condensou todas as suas graças e a sua própria glória. 

   Podemos dize ao Pai Celeste: Dai-me as graças de que preciso e pagar-vos-ei com Jesus Eucaristia, que me pertence. É propriedade minha, posso negociar com Ele, e todas as vossas graças, vossa glória mesmo, ó Pai Santo, são inferiores a esse preço divino!

   Quando pecamos, temos uma vítima a oferecer por nossas faltas; é a nossa. - Pai, eu vo-La ofereço; Perdoar-me-eis por Jesus e em Jesus, que sofreu bastante e reparou plenamente.

   E qualquer graça que Deus nos conceda fica sendo nosso devedor, porquanto Jesus Cristo, nosso tesouro, vale mais que todas as graças, mais que o céu. 

domingo, 16 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  16 de agosto

   Eis a nossa herança: Nosso Senhor Jesus Cristo!

   E como chegou até nós esta herança, no decorrer de vinte séculos? É que foi confiada por Jesus Cristo a tutores que a conservaram, velaram por ela, a fim de no-la entregar quando atingíssemos a maioridade, e esses tutores foram os Apóstolos, e dentre eles, o seu chefe imperecível. Os Apóstolos, por sua vez, a entregaram aos sacerdotes, dos quais a recebemos: são eles que nos abrem o nosso testamento, nos dão a hóstia consagrada no pensamento de Nosso Senhor por ocasião da ceia.

   Sim, para Jesus Cristo não existe passado, nem presente, nem futuro; na ceia, este bom Pai conhecia cada um de nós; consagrou, com o seu poder e o seu desejo, todas as hóstias e nos amou individualmente vinte séculos antes de nascermos.

   Sim, estávamos presentes na ceia, e Jesus nos reservou não somente uma Hóstia mas cem, mil hóstias para todos os dias de nossa vida. Acaso pensamos nisto? Oh! Jesus quis nos amar em excesso; nossas hóstias estão preparadas, não deixemos que se perca uma só!

sábado, 15 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  15 de agosto

   Os sarracenos, ao reterem São Luís IX  prisioneiro, possuíam a França como refém.

   Quanto à nós, possuindo Jesus Cristo, possuímos de antemão o céu. Aproveitemo-nos deste pensamento e façamos Jesus Cristo frutificar. A maior parte das almas guarda-O sepultado em si ou O deixa em seu sudário, não se serve d'Ele para ganhar o céu e conquistar reinos para Deus.

   Utilizemo-nos de Jesus Cristo para rezar e reparar; saldemos nossas dívidas com Jesus, cujo valor é insuperável.

   Nosso Senhor vem a nós para produzir frutos, e O deixaríamos ficar inativo? Não, jamais! Façamo-Lo frutificar por si mesmo, para que as hóstias não permaneçam estéreis! Negotiamini!

   Oh! quanto Jesus é bom!

   A ceia durou cerca de três horas; foi a paixão de seu amor. Sim, quanto esse pão Lhe custou caro!

   Procuremos nos alimentar dele, pois nos pertence. Nosso Senhor no-lo adquiriu, e no-lo dá. A nós, compete comê-lo.

   Que honra! Que amor!

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  14 de agosto

   Nosso Senhor não sofre mais no Santíssimo Sacramento; assumiu, porém, voluntariamente, este estado de imolação. O mérito foi adquirido na primeira hora, quando, conhecendo os desprezos e insultos que deveria sofrer da parte dos homens, tudo aceitou, e instituiu o Santíssimo Sacramento, e se revestiu do estado de vítima.

   Este merecimento perdura, é inesgotável, visto que a vontade de Nosso Senhor abrangeu todos os tempos e todos os lugares, e tudo aceitou livremente. E, para atestar sua vontade sempre ativa de se imolar, ordenou à sua Igreja que representasse esta imolação, na Santa Missa, pela separação das espécies do pão e do vinho e pela divisão da Hóstia em três partes.

   Não há expressão que possa definir este mistério que une na Eucaristia a vida e a imolação, a glória e a humilhação; é um mistério que ensina a alma interior a reservar para Deus somente os seus sofrimentos íntimos.

   Que o aniquilamento seja o caraterístico da virtude e da vida toda de uma alma adoradora. Que ela se torne semelhante às santas espécies, que nada mais possuem de próprio e vivem só por milagre; que não se tome em consideração, não conte consigo e nada faça para si mesma. 

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  13 de agosto

 
 Nosso Senhor encontrou o meio de perpetuar e renovar continuamente o sacrifício do Calvário; quer que o Pai tenha constantemente sob os olhos o ato heroico pelo qual Lhe rendeu uma glória infinta, imolando-se para destruir o reinado de satanás, seu inimigo.

   Jesus Cristo continua a travar com o orgulho o combate que há de vencê-lo; assim como o orgulho é o que mais causa aversão à Deus, assim também a humildade é o que mais O glorifica. 

   Que olhares de complacência, portanto, não deve o Pai Celeste lançar sobre a terra, conde contempla seu Filho a quem ama como a si mesmo, num estado de pobreza, de humildade, de obediência!

   Qual a glória humana que poderá temer humilhar-se desde que o Rei da glória se aniquila a esse ponto? Qual o possuidor das riquezas da terra que não prestará homenagem à pobreza da terra que não prestará homenagem à pobreza de Jesus Hóstia? Quem se recusará a obedecer a Deus e aos seus representantes, quando o próprio Deus obedece ao homem?

   Jesus Cristo aí está para responder as nossas escusas e as nossas queixas. É do tabernáculo, é de entre o véu da Hóstia que se escapa esta palavra: - Aprendei de Mim a ocultar vossas boas obras, vossas virtudes, vossos sacrifícios; humilhai-vos, vinde a Mim!

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  12 de agosto

   Jesus não podendo já, na Eucaristia, deixar de gozar, como em Getsêmani, o enlevo e os transportes da beatitude de sua alma, visto que aí está glorioso e ressuscitado, perde essa beatitude no homem, no cristão, seu membro indigno.

   Na Hóstia, enfim, não Lhe sendo mais possível morrer realmente, toma um estado de morte aparente.

   As espécies são consagradas em separado, a fim de rememorar a perda de seu Sangue que jorrando de seu Corpo ocasionou-Lhe a morte dolorosa. E estas espécies, na Comunhão, são consumidas, aniquiladas em nós.

   Jesus ainda se expõe a perder a vida sacramental pela profanação dos ímpios que destroem as santas espécies, e dos pecadores que O recebem indignamente. O crucificam em suas almas, e O colocam em contato com o demônio, senhor absoluto de sua pessoas.

   Na Eucaristia, Jesus imola portanto a vida natural, na medida em que permite o seu estado glorioso. 

terça-feira, 11 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  11 de agosto

      Jesus, na Eucaristia, do mesmo modo que na sua Paixão, não quis poupar a própria vida divina.

   Na Paixão, deixou transparecer somente o seu amor; ocultou sua glória, sua majestade, seu poder, e se apresentou como o homem de dores, o abandonado de Deus e dos homens.

   Infelizes daqueles que não O quiseram reconhecer! Foi necessário que um ladrão, um malfeitor, Lhe adorasse a divindade e proclamasse a inocência, e que a natureza chorasse o seu Criador!

   No Santíssimo Sacramento, Jesus continua, com mais amor ainda, esta imolação dos atributos divinos. Do poder de Jesus Cristo, de sua glória, vê-se apenas uma paciência que chegaria a causar escândalo se não soubéssemos que o seu amor para conosco é infinito, é uma loucura! Insanis, Domine!

   O terno Salvador parece nos dizer: "Será que não faço bastante por vós? Acaso não mereço o vosso amor? Que posso fazer ainda? Apontai o sacrifício que me falta praticar!"

   Oh! como são desgraçados os que desprezam tanto amor! A Eucaristia é a prova suprema do amor de Jesus para conosco, porque é o supremo sacrifício. 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  10 de agosto

   Jesus Cristo, na sua Paixão, acrescentou ao sacrifício de seus direitos a imolação de sua personalidade; imolação da vontade, da beatitude da alma, que deixou se invadir de tristeza mortal, e imolação da própria vida na cruz.

   Era pouco, entretanto, para o seu amor, fazer esta imolação uma vez somente. Quis continuar na Eucaristia esta morte natural. Para imolar sua vontade, Ele, Deus, obedece a sua criatura; Rei, ao súdito, Libertador ao escravo. Obedece aos sacerdotes e aos fiéis, aos justos e aos pecadores, e obedece sem resistência, sem precisar violentá-Lo. Obedece aos próprios inimigos, a todos, enfim, com a mesma solicitude. E não apenas no momento da Missa, quando o sacerdote pronuncia as palavras da consagração, mas a todo instante do dia e da noite, conforme as necessidades dos fiéis. Seu estado permanente é de obediência pura e simples.

   Oh! se o homem compreendesse o amor de Jesus na Eucaristia! Durante a sua Paixão, Ele foi amarrado, perdendo a liberdade. Aqui, Ele próprio se prende com as cadeias perpétuas e radicais de suas promessas, sob as santas espécies, às quais está inseparavelmente unido em virtude das palavras sacramentais. 

domingo, 9 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  9 de agosto

   O amor sem sacrifício não merece este nome; é amor próprio disfarçado.

   Se queremos, portanto, conhecer o amor de Jesus para com os homens, na Eucaristia, e avaliar o preço desse amor, vejamos os sacrifícios que Jesus aí faz. São idênticos aos da Paixão do Homem-Deus. Numa e noutra, Jesus Cristo imola a vida civil, a vida natural, a vida divina. 

   Em sua Paixão, à qual o impeliu o seu grande amor para conosco, Jesus Cristo foi posto fora da lei. Viu-se entregue nas mãos de seus inimigos, sem proteção alguma, e não reclamou o direito do mais vulgar dos acusados. Imolou os seu foros de cidadão, de homem probo, à salvação, ao amor de seu povo.

   Na Eucaristia, ainda aceita esta imolação da vida civil; não tem direitos, a lei não O reconhece, a sociedade não Lhe presta as devidas homenagens. Jesus sacramentado não conta com a proteção dos homens. Tomará o céu a sua defesa? Não. Como em casa de Pilatos e Caifás, está entregue por seu Pai à vontade dos pecadores.

   E sabia Jesus de tudo isto, e escolheu este estado livremente? - Sim. Para ser nosso modelo e consolação nos sofrimentos e perseguições do mundo.  

sábado, 8 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  8 de agosto

   Sob qualquer aspecto que se considere a Eucaristia, ela nos lembra de um modo tocante a morte de Nosso Senhor.  
   Foi instituída na véspera de sua morte, na mesma noite em que se entregou aos inimigos: Pridie quam pateretur in nocte qua tradebatur. E o nome com que a designa é o testamento selado com seu sangue: Hoc testamentum est in sanguine meo.

   O estado de Jesus é um estado de morte. Nas aparições de Bruxelas e de Paris, respectivamente em 1290 e 1369, mostrou as suas chagas, como nossa divina vítima. Jesus está sem movimento, sem vontade, semelhante a um morto que se precisa transportar. Em seu redor reina um silêncio de morte: seu altar é um túmulo que encerra ossos de mártires. É encimado pela cruz - que o ilumina como ilumina os túmulos - e o corporal que envolve a santa hóstia é um novo sudário, novum sudarium. Quando o sacerdote vai celebrar o santo sacrifício traz sobre si as insígnias da morte: os paramentos sagrados são todos ornados de uma cruz, na frente e nas costas.

   Sempre a morte, sempre a cruz - eis o estado da Eucaristia considerada em si mesma. 

HUMILDADE DO CURA D'ARS

Por Abbé A. Monnin

      Para quem não conhecesse o Cura d'Ars pela narração das coisas maravilhosas que se realizavam em torno dele e que lhe mereciam as ovações da multidão, era natural supor que, naquele ambiente de glória que o circundava, o orgulho lhe era, senão a armadilha, ao menos a tentação. Que provação, com efeito, permanecer humilde entre os testemunhos mais expressivos e mais retumbantes da veneração pública! Alguém insinuava certa vez essa ideia diante dele; ele compreendeu, e, levantando os olhos aos céu com uma expressão profunda de tristeza e quase de desalento, disse: "Ah! se ainda eu não fosse tentado de desespero!"
    Um dia recebeu ele uma carta cheia de coisas inconvenientes; pouco depois recebeu outra que só respirava veneração e confiança. e na qual lhe chamavam um santo. Ele o participou às suas caras filhas da Providência: "Vede, diz-lhes, o perigo que há em nos determos nos sentimentos humanos. Esta manhã eu teria perdido a tranquilidade da alma, se tivesse querido dar atenção às injúrias que me dirigiam, e esta tarde teria sido grandemente tentado de orgulho, se me tivesse fiado em todos aqueles cumprimentos. Oh! como é prudente não nos apegarmos às vãs opiniões e aos vãos discursos dos homens, e não fazer nenhum caso deles!"
    Ele dizia ainda a propósito dessas cartas: "Recebi duas cartas pelo mesmo correio; numa diziam que eu era um grande santo, noutra que eu era um hipócrita e um charlatão... A primeira não me acrescentava nada, a segunda nada me tirava: a gente é aquilo que é diante de Deus; e depois, nada mais!"
    Outra vez dizia ele: "O bom Deus escolheu-me para ser o instrumento das graças que ele faz aos pecadores, porque eu sou o mais ignorante e o mais miserável de todos os padres. Se houvesse na diocese um padre mais ignorante e mais miserável do que eu, Deus o teria aproveitado de preferência".
    O Cura d'Ars tinha uma sentença que lhe tornava com frequência à conversação: "Se dizem mal de vós, dizem o que é verdade; se vos cortejam, zombam de vós... Qual é melhor, que vos avisem, ou que vos iludam? que vos tomem a sério, ou que vos escarneçam?"
    O Padre Vianney nunca falava de si primeiro. Se o interrogavam, respondia com uma modéstia que impunha reserva e com um laconismo que reduzia o interlocutor ao silêncio. Depois cortava com tudo que lhe dizia respeito e só procurava desviar a conversa. No mais, esgotava em tais ocasiões todas as formas do desprezo, e a sua humildade era engenhosa em inventar formas novas. Fazia o elogio de um padre a quem estimava, e dizia, na sua linguagem imaginosa e pitoresca, que havia nele algo da andorinha e da águia.
    "- E em V. Revma., sr. Cura, que há?
    " - Oh! o que há em mim? Serviram-se para formar o Cura d'Ars duma pata, duma perua e de uma lagosta".
    "Como V, Revma. é bom", dizia o santo homem a um missionário recém-chegado a Ars, "de vir ajudar-nos!
    "- Sr. Cura, sem falar do prazer que temos de viver junto a V. Revma., é um dever que cumprimos.
    " -Oh não! é caridade!
    "- Sr. Cura não creia isso. Não há caridade da nossa parte. 
    "- Oh! há! Bem vê V. Revma., que, quando V. Revma., está aqui, isto ainda vai; mas quando eu estou sozinho, não valho nada. Sou como os zeros, que só têm valor ao lado dos outros algarismos... Estou velho demais, não presto para nada. 
    "- Sr. Cura, V. Revma. é sempre jovem pelo coração e pela alma.
    "- Sim, meu amigo, posso dizer, como um santo a quem perguntavam a idade, que ainda não vivi um dia".
    Na necessidade que o Padre Vianney sentia de se diminuir e rebaixar, fazia emprego contínuo do termo pobre. Era a sua pobre alma, o seu pobre cadáver, a sua pobre miséria, os seus pobres pecados. Tinha sempre a língua levantada para reconhecer suas faltas, e, a dar-lhe crédito, a sua vida inteira não bastaria para chorá-las. Só acusações tinha a formular contra si próprio.
    A humildade do seu coração fazia-lhe derramar verdadeiras lágrimas sobre a sua fraqueza e ignorância. Essas lágrimas só podiam ser enxugadas pela generosidade do seu ânimo que o premia a lançar-se de olhos fechados, com todas as suas impotências, nos braços de Deus. Ele se exprobrava tudo. Crer-se-ia que ele envelhecera no mal, que era o mais vil e o mais desgraçado dos pecadores. 
    "Como Deus é bom, dizia ele muitas vezes, para suportar as minha imensas misérias!"
    "Deus me fez esta grande misericórdia de não pôr nada em mim em que eu me possa apoiar, nem talento, nem ciência, nem força, nem virtude... Só descubro em mim, quando me considero, os meu pobres pecados. E ainda Deus permite que eu não os veja todos, e que não me conheça todo. Essa vista me faria cair no desespero. Não tenho outro recurso contra esta tentação do desespero senão lançar-me aos pés do tabernáculo, como um cachorrinho aos pés do dono..."
    O servo de Deus era do pequeno número dos que falam da humildade humildemente. "Senhor Cura, como fazer para ser direito? perguntava-lhe um dia alguém.
    "- Meu amigo, é preciso amar a Deus".
    "- Ah! e como fazer para amar a Deus?
    "- Ah! meu amigo, humildade! humildade! É o nosso orgulho que nos impede de nos tornarmos santos. O orgulho é a corrente do rosário de todos os vícios, a humildade é a corrente do rosário de todas as virtudes".
    Eis aqui sobre o mesmo assunto alguns pensamentos do servo de Deus:
   "A humildade é como uma balança; quanto mais a gente se abaixa de um lado, tanto mais é elevada do outro".
    "Os que nos humilham são nossos amigos, e não os que nos louvam".
    "Perguntavam a um santo qual era a primeira das virtudes, e ele respondeu: "É a humildade. - E a segunda? - A humildade. - E a terceira? - A humildade".
    "Jamais compreenderemos a nossa pobre miséria. Faz fremir só o pensar nisto! Deus só nos dá sobre isso uma pequena vista. Se nos conhecêssemos a fundo, como ele nos conhece, não poderíamos viver; morreríamos de pavor".
    "Os santos se conheciam melhor que os outros, e é por isto que eram humildes. Entravam em grandes confusões vendo que Deus se servia deles para fazer milagres. São Martinho era um grande santo e julgava-se um grande pecador. Atribuía aos seus pecados todos os males que sucediam no seu tempo".
    "Ai! não se concebe como e de que uma criatura tão pequena como nós possa orgulhar-se... O diabo apareceu um dia a São Macário, armado de um chicote como para batê-lo, e lhe disse: "Tudo isso que tu fazes eu faço: tu jejuas, eu nunca como; tu velas, eu nunca durmo. Só há uma coisa que tu fazes e eu não posso fazer. - Oh! que é então? - "humilhar-me!" respondeu o diabo; e sumiu-se!...
    "Há santos que punham em fuga o demônio dizendo: "Como sou miserável!"


SÃO JOÃO BATISTA MARIA VIANNEY! ROGAI POR NÓS!

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  7 de agosto

   Uma outra maravilha da Eucaristia, aliás contida na primeira, é que esse milagre da transubstanciação se renova à simples palavra de um homem, do sacerdote, e toda vez que ele deseja.

   Eis o poder que lhe foi comunicado por Deus: quer o seu Deus presente sobre o altar, e Deus assim faz!

   O sacerdote opera a maravilha que Jesus realizou na ceia eucarística: é de Jesus que recebe o seu poder, e é em seu nome que opera. 

   Nosso Senhor jamais resistiu à palavre de seu sacerdote. Oh! milagre do poder de Deus: a criatura frágil, mortal, encarna Jesus sacramentado!

   Uni-vos à piedade, ao amor de todos os santos da Nova Lei para celebrar dignamente essa nova encarnação e essa nova imolação que se operam em virtude da palavra do sacerdote.

   Pedi ao Pai Celeste que se digne de abençoar esse sacrifício, de nele se comprazer e de abençoar, por meio dele, todos os outros sacrifícios de virtude e de santidade que Lhe oferecerdes. 

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  6 de agosto

   A primeira das maravilhas que se operam na Eucaristia é a transubstanciação.

   Jesus, na ceia, e, hoje em dia, os sacerdotes, por sua ordem e instituição, tomando o pão e o vinho pronunciam sobre esta matéria as palavras da consagração, e no mesmo instante toda a substância do pão e a do vinho desaparecem, mudadas que foram no Corpo sacrossanto e no Sangue adorável de Jesus Cristo!

   Do pão e do vinho restam somente as aparências: a cor, o peso, o gosto; para os sentidos é pão e vinho. A fé porém nos diz que é o Corpo e o Sangue de Jesus sob os acidentes, que subsistem por milagre da onipotência divina, pois é contra as leis ordinárias que as qualidades dos corpos persistam sem o corpos que as sustêm. 

   É obra de Deus; sua vontade divina é sua razão de ser, assim como é a razão de ser de nossa existência. Deus pode tudo quanto quer; um ato não Lhe custa mais do que outro.

   Eis, portanto, a primeira maravilha da Eucaristia. 

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  5 de agosto

   Do mesmo modo que Jesus Cristo substituiu com o Sacrifício da Missa todos os sacrifícios da Antiga Lei, também incluiu todas as intenções e frutos que eles se propunham.

   Os judeus, por prescrição divina, ofereciam sacrifícios para quatro fins: reconhecer o domínio supremo de Deus sobre toda a criatura, agradecer-Lhe os seus dons, pedir-Lhe que continuasse a lhos conceder, e aplacar sua cólera irritada pelos pecados dos homens.

   Jesus Cristo faz tudo isto e com suma perfeição, visto que, em lugar de touros e cordeiros, se oferece a si mesmo, o Filho de Deus e Deus como seu Pai.

   Ó maravilha da Eucaristia! Por seu estado sacramental Jesus rende ao Pai homenagem nova, jamais prestada por criatura alguma, homenagem que excede a tudo o que o Verbo Encarnado pôde fazer sobre a terra. Que extraordinária homenagem será esta? A homenagem do Rei da Glória, consumado no poder e na majestade do céu, que, no seu Sacramento, vem imolar ao Pai não apenas a sua glória divina como na Encarnação, mas a sua glória humana, as qualidades gloriosas de sua humanidade ressuscitada!

terça-feira, 4 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  4 de agosto

  Celebra-se diariamente sobre a terra um número quase infinito de Missas, sucessiva e ininterruptamente, e - ó tristeza profunda para a alma que ama - quantas vezes Jesus se oferece por nós sem que esteja presente um fiel sequer!

   Enquanto Jesus, nesse novo Calvário, pede misericórdia, os pecadores ultrajam a Deus e ao seu Cristo. 

   Por que então renova Nosso Senhor tão frequentemente o seu sacrifício, desde que não nos aproveitamos  dele?

   Porque permanece Nosso Senhor dia e noite em tantos altares sem que pessoa alguma venha receber as graças que oferece à mancheias? Ah! Ele ama, e por isto espera!

   Se descesse sobre os nossos altares somente em determinados dias, talvez algum pecador, movido pela graça, vindo procurá-LO e não O encontrando, tivesse que esperar. Jesus prefere esperar pelo pecador durante anos seguidos a que este espere por Ele um só instante, o que poderia fazê-lo desanimar no momento em que resolvera sair da escravidão do pecado.

   A persistência de Jesus no Santíssimo Sacramento, eis uma prova irrecusável de seu amor. 

   

   

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  3 de agosto

   O melhor método de assistir frutuosamente a Santa Missa é unirmo-nos à augusta Vítima. Façamos o que Ela faz: ofereçamo-nos com Ela e na mesma intenção. Nossa oferenda, assim unida à de Jesus Cristo, tornar-se-á nobre, pura, digna dos olhares de Deus.

   Acompanhemos Nosso Senhor ao Calvário, meditando as circunstâncias de sua paixão e morte, mas principalmente unindo-nos ao Sacrifício pela participação da Vítima com o Sacerdote. É assim que a Santa Missa tem a sua plena eficácia e corresponde integralmente aos desígnios de Nosso Senhor.

   Jesus Cristo, na Santa Missa, não sofre e não morre mais, é verdade. Em que consiste pois o sacrifício? Afastai, por meio da fé, o véu do mistério, e vereis - Jesus glorioso num estado de imolação; Jesus cheio de majestade num estado de aniquilamento; Jesus onipotente, feito cativo; Jesus impassível, num estado de vítima; numa palavra, Jesus que na realidade não pode mais morrer, assumindo o estado de morte para continuar seu sacrifício.

   Ah! se as almas do purgatório pudessem voltar a este mundo, o que não fariam para assistir uma única Missa!

domingo, 2 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  -  2 de agosto

   Assistir o Santo Sacrifício, unir-se a Jesus Cristo, eis o ato mais salutar à nossa alma, pois que aí recebemos as graças de arrependimento e justificação e o auxílio necessário para evitarmos as recaídas.

   A Santa Missa é ainda o meio soberano de exercermos a caridade para com o próximo, aplicando-lhe, não os nossos insignificantes méritos, porém os merecimentos infinitos e as imensas riquezas de Jesus Cristo, que Ele põe à nossa disposição.  

   Por meio da Santa Missa - motivo de júbilo para todo o céu e de aumento de glória para os bem-aventurados - também advogamos eficazmente a causa das almas do purgatório e obtemos a conversão dos pecadores. 

   Para compreendermos o valor da Santa Missa, lembremo-nos de que este ato sublime possui em si mesmo um merecimento que ultrapassa o de todas as boas obras, de todas as virtudes e de todos os méritos da multidão dos santos, inclusive os da augusta Virgem Maria, desde o começo do mundo até o fim, porque a Missa é o sacrifício do Homem Deus morrendo enquanto Homem e elevando, enquanto Deus, a sua morte à dignidade de ação divina, o que lhe empresta um valor infinito. 

sábado, 1 de agosto de 2015

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  - 1 de agosto

   O Santo Sacrifício da Missa é a mias sublime das orações. Jesus Cristo aí se oferece ao Pai, adora-O, rende-Lhe ações de graças e reparação e intercede em favor da Igreja, dos homens, seus irmãos e dos pobres pecadores. 

   E Jesus perpetua esta augusta oração por seu estado de vítima na Eucaristia. Permanece no Calvário místico repetindo sua palavra sublime: "Pai, perdoai-lhes! Ofereço-Vos por eles o meu sangue, os minhas chagas!"

   Jesus se multiplica por toda a parte, em todo o lugar em que se faz mister alguma reparação. Onde quer que se estabeleça uma família cristã. Jesus vem fazer com ela sociedade de adoração. para glorificar seu Pai adorando-O e fazendo com que Ele seja adorado em espírito e em verdade. Deus Pai, satisfeito, glorificado tanto quanto merece, exclama: "Grande é o meu nome por entre as nações, porquanto desde o nascer do sol até o seu ocaso, é-me oferecida uma Hóstia de agradável odor!"

   Unamo-nos portanto à oração de Nosso Senhor, rezemos com Ele pelos quatro fins do Sacrifício. Esta oração resume toda a religião e compreende os atos de todas as virtudes. 

FLORES DA EUCARISTIA


Leitura espiritual  

   As leitura espirituais de agosto serão todas sobre a Santíssima Eucaristia como Sacrifício e Sacramento. 

   "Enquanto estavam a cear, tomou Jesus o pão, benzeu-o, partiu-o e deu-o a seus discípulos dizendo: tomai e comei; isto é o meu Corpo. Depois, tomou o cálice, deu graças e lhos apresentou dizendo: Bebei dele todos, porque isto é o meu sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, em remissão dos pecados' (Mt., 26, 26-29).

   A Missa é o ato mais santo da religião. Nenhum outro glorifica tanto a Deus, e assisti-la piedosa e frequentemente é o que existe de mais proveitoso para a alma. 

   É a devoção predileta dos santos.

   Assistir diariamente o Santo Sacrifício é atrair a felicidade para o dia todo. Os vossos deveres serão desempenhados com maior perfeição, e vossa alma sentir-se-á mais forte para carregar a cruz cotidiana do cristão.

   A Santa Missa tem o mesmo valor do sacrifício da cruz e no-lo aplica pessoalmente. É o mesmo holocausto, a mesma Vítima, o mesmo Sacerdote. Jesus Cristo imolado de um modo incruento porém real e eficaz.

   Ah! se após a consagração pudésseis ver o mistério do altar como ele é em si mesmo, contemplareis Jesus Cristo na cruz oferendo suas chagas, seu sangue, sua morte, ao Eterno Pai, pela salvação de vossa alma e do mundo inteiro; os Anjos prostrados em redor do altar, admirados, quase atônitos diante de tanto amor para com as criaturas indiferentes ou ingratas. Havíeis de ouvir o Pai Celeste, na contemplação de seu divino Filho, dizer-vos como outrora no Tabor: "Eis o meu filho bem amado, objeto das minhas complacências; adorai-O, amai-O, servi-O de todo o vosso coração".